domingo, 12 de julho de 2015

MaDame Cult: O Exterminador do Futuro (The Terminator) - 1984




Por Cristiane Costa


A concepção de uma grande ideia para um filme pode transformá-lo em um celeiro de oportunidades para desenvolver outras continuações e torná-lo um sucesso que sobrevive aos longos anos, mesmo com alguns fracassos entre sequências. Foi o que aconteceu com O Exterminador do Futuro (Terminator), um dos melhores cult sci fi action movies com um forte approach de thriller, dirigido  e roteirizado por James Cameron e com as credenciais da produtora Gale Anne Hurd , que  se interessa por este universo de ficção científica e mais tarde  fez outras parcerias relevantes com o diretor como Aliens, O Resgate e O Exterminador do futuro 2 : O Julgamento final, este último, o melhor da franquia Terminator. 




Linda Hamilton e o diretor James Cameron




O primeiro filme lançou Arnold Schwarzenegger como o ator de ouro e colaborador de longa data desta franquia,  Linda Hamilton  como a heroína Sarah Connor e que se tornou um ícone de mulheres corajosas e fortes do Cinema até hoje, além de apresentar o talento de James Cameron para realizar filmes sci fi com um assertivo trabalho de direção. Ele demonstra habilidade para a combinação de efeitos especiais que acompanharam a evolução do gênero do Cinema, ao mesmo tempo que, ele não abre mão do fundamental efeito físico do filme de ação.   Não à toa que o longa é tenso do começo ao fim em uma perseguição implacável de um robô assassino que incansavelmente tem uma "meta", a de caçar uma humana, nem que para isso precise matar alguns por engano.




Kyle Reese (Michael Biehn) e Sarah Connor ( Linda Hamilton) 
unidos e perseguidos  por uma causa além do presente.


O Exterminador do Futuro é uma entrada triunfal a um tipo de narrativa atraente para o cultivo da Cinefilia e da lealdade do público ao inventar e reunir vários elementos que sustentam este blockbuster:  uma linha de tempo (timeline) que oferece trânsito entre narrativas  marcadas no tempo, uma máquina do tempo que possibilita que os personagens sejam enviados para outros anos, uso de flashbacks para retomar memórias relevantes à compreensão do plot, uma guerra entre máquinas e homens que compromete a ordem do planeta, um ciborgue assassino e quase indestrutível que persegue heróis e heroínas e é uma real máquina de guerra, uma combinação de vários gêneros como ação, thriller, ficção científica, uma história de amor não plenamente vivenciada, e um essencial motivo para aniquilar a humanidade, o de matar uma mãe antes que ela dê à luz a criança que será líder da resistência no futuro e poderá salvar o planeta. Todos estes elementos , sinérgicos entre si, fazem de O Exterminador do Futuro um clássico sci fi  e de ação de alta qualidade cinematográfica.




T-8000 : uma máquina de guerra determinada, à caça de Sarah Connor


 


Neste primeiro filme, o robô T-8000 (Arnold Schwarzenegger) é enviado de 2029 para  1984 para matar a garçonete Sarah Connor (Linda Hamilton), a futura mãe de John Connor, líder da resistência contra as máquinas. Para protegê-la, também é enviado  o soldado humano Kyle Reese (Michael Biehn). Ela desconhece de quem será mãe e por que o robô quer assassiná-la, sendo assim,  a relação de confiança entre ela e Reese se intensifica à medida que eles lutam contra o T-8000.  Como não podia faltar um toque de drama e romance , afinal James Cameron adora colocar um pitada de amor em alguns de seus filmes, os personagens de Linda Hamilton e Michael Biehn têm uma cativante química e são a gênese de algo muito maior: um filho, um ideal de liberdade. Eles demonstram que se apoiam um no outro e são verdadeiros humanos, sujeitos à dor, fraqueza e ao desespero e que lutam para sobreviver. Enquanto eles são a simbologia da humanidade no seu instinto mais básico: a sobrevivência, Schwarzenegger como um robô é um excelente contraponto, tamanha a frieza e mecanização de sua atuação. O T-8000 é um pesadelo. Inicialmente coberto de pele humana, no decorrer do filme, o robô tem uma mudança física que o transfigura e dá maior realismo estético à essa ficção científica. 





Linda Hamilton : ícone feminino no Cinema de sci fi action com Terminator


James  Cameron dirige o longa com primor, tanto que O Exterminador do Futuro continua atual e um entretenimento imperdível. O cineasta orquestra vários recursos audiovisuais, em especial o som, a trilha sonora, os efeitos especiais e a construção do espaço cenográfico da perseguição com uso de carros e motos e sua interação com as performances dos personagens. No mais, o filme apresenta um ótimo arco dramático na evolução da heroína Sarah Connor; em outras palavras, ela perde a  "inocência",  passando de uma garçonete frágil e assustada para uma futura líder , mãe e orientadora de seu filho John Connor. Linda Hamilton tem uma sintonia tão favorável com esta história que, após mais de 30 anos do lançamento, sua expressiva figura como Sarah Connor é icônica e se intensifica na força física e de seu caratér em O Exterminador do Futuro 2, filme  emblemático em sua carreira e em Terminator



 
 

Ficha técnica do filme ImDB O Exterminador do Futuro (1984)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière